quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Proclamação da República no Brasil

História da Proclamação da República, feriado do dia 15 de novembro, crise da monarquia, Marechal Deodoro da Fonseca, movimento republicano, história do Brasil, fim da monarquia, democracia no Brasil


Introdução  (contexto histórico)

No final da década de 1880, a monarquia brasileira estava numa situação de crise, pois representava uma forma de governo que não correspondia mais às mudanças sociais em processo. Fazia-se necessário a implantação de uma nova forma de governo, que fosse capaz de fazer o país progredir e avançar nas questões políticas, econômicas e sociais.

Crise da Monarquia 

A crise do sistema monárquico brasileiro pode ser explicada através de algumas questões:

- Interferência de D. Pedro II nos assuntos religiosos, provocando um descontentamento na Igreja Católica;

- Críticas feitas por integrantes do Exército Brasileiro, que não aprovavam a corrupção existente na corte. Além disso, os militares estavam descontentes com a proibição, imposta pela Monarquia, pela qual os oficiais do Exército não podiam se manifestar na imprensa sem uma prévia autorização do Ministro da Guerra;

- A classe média (funcionário públicos, profissionais liberais, jornalistas, estudantes, artistas, comerciantes) estava crescendo nos grandes centros urbanos e desejava mais liberdade e maior participação nos assuntos políticos do país. Identificada com os ideais republicanos, esta classe social passou a apoiar o fim do império;




- Falta de apoio dos proprietários rurais, principalmente dos cafeicultores do Oeste Paulista, que desejavam obter maior poder político, já que tinham grande poder econômico;

Diante das pressões citadas, da falta de apoio popular e das constantes críticas que partiam de vários setores sociais, o imperador e seu governo, encontravam-se enfraquecidos e frágeis. Doente, D. Pedro II estava cada vez mais afastado das decisões políticas do país. Enquanto isso, o movimento republicano ganhava força no Brasil.

A Proclamação da República 

No dia 15 de novembro de 1889, o Marechal Deodoro da Fonseca, com o apoio dos republicanos, demitiu o Conselho de Ministros e seu presidente. Na noite deste mesmo dia, o marechal assinou o manifesto proclamando a República no Brasil e instalando um governo provisório.

Após 67 anos, a monarquia chegava ao fim. No dia 18 de novembro, D. Pedro II e a família imperial partiam rumo à Europa. Tinha início a República Brasileira com o Marechal Deodoro da Fonseca assumindo provisoriamente o posto de presidente do Brasil. A partir de então, o pais seria governado por um presidente escolhido pelo povo através das eleições. Foi um grande avanço rumo a consolidação da democracia no Brasil.

terça-feira, 20 de junho de 2017

A Engenheiro Goulart fará a interligação de passageiros que vem de São Paulo rumo aos destinos servidos pelas companhias aéreas

Em ritmo acelerado de construção, as obras da Estação Engenheiro Goulart, que fará a interligação das Linhas 13-Jade, de ligação com o Aeroporto Internacional de Guarulhos, e Linha 12-Safira (Brás-Calmon Viana), recebeu nesta segunda-feira (19), a visita do governador Geraldo Alckmin.
Acompanhado do secretário de Estado de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pellissioni, e do presidente da CPTM, Paulo Magalhães, o governador foi conferir pessoalmente como estão os trabalhos de reconstrução da Engenheiro Goulart, que deverá ser entregue este ano. “A estação foi praticamente demolida e será inaugurada com 15 mil metros quadrados de área construída, 30 vezes maior, com acessibilidade”, disse Alckmin.
A Engenheiro Goulart está desativada desde junho de 2014, quando foi fechada para as obras de reconstrução e adaptação para receber as estações. A estação da CPTM deve entrar em operação este ano, para receber os usuários da Linha 12-Safira (Brás-Calmon Viana).
“Temos uma passarela sobre a linha do trem até o Parque Ecológico do Tietê, que recebe 30 mil pessoas nos finais de semana. A estação facilitará muito o acesso ao parque, que é gratuito e está muito bonito”, destacou o governador.
Em 2018, quando está prevista a entrega da Linha 13-Jade, a Estação Engenheiro Goulart também receberá os passageiros que utilizarão a ligação com o Aeroporto Internacional de Guarulhos.
Orçada em R$ 2,2 bilhões, a Linha 13-Jade terá 12,2 km de extensão e será servida ainda pelas estações Guarulhos-Cecap e Aeroporto Guarulhos, em construção. Uma parte do trajeto, de 4,3 km, será feito em superfície e os outros 7,9 Km em via elevada.
Crédito da Foto: Alexandre Carvalho/A2

sábado, 27 de maio de 2017

Trupe Baião de 2 apresenta ‘Retirantes: Malas, Sonhos e Mancebos‘em Biritiba-Mirim



NATELSON EM BIRITIBA REGISTRANDO UMA APRESENTAÇÃO 26 5 2017



No dia 02 de junho, a Trupe Baião de 2 convida a população de Ferraz de Vasconcelos e região para um espetáculo divertido, com elementos da cultura popular como Maracatu, Coco, Frevo e Forró, ritmos tipicamente nordestinos que dão o tom das performances circenses e dança. Formada por Guilherme Awazu e Rachel Monteiro, a Trupe Baião de 2 é um grupo de circo contemporâneo que vem ganhando espaço por ir além da diversão e exibição de habilidades técnicas, apresentando um trabalho potente, delicado e poético, além de explorar a dramaturgia em um espetáculo circense. No dia 02 de junho (sexta-feira), a trupe apresenta “Retirantes: Malas, Sonhos e Mancebos” na Praça Independência, com entrada gratuita e com um programa especial de acessibilidade, com lugares para deficientes físicos e entrada permitida de cão guia para acompanhar deficientes visuais.Esta é uma montagem feita para ruas e praças, que tem como temática os retirantes nordestinos e seus (des)caminhos.
O grupo realiza circulação do espetáculo através do Prêmio Funarte Carequinha de Estimulo ao Circo 2015, e além de Ferraz de Vasconcelos, tem apresentações agendadas em Salesópolis, tendo já realizado apresentações em  Biritiba-Mirim, Guaianases, Guararema, Santa Isabel, Suzano e Poá. Todos os lugares das apresentações foram escolhidos por conta da expressiva presença de migrantes nordestinos.
Em “Retirantes: Malas, Sonhos e Mancebos” as malas carregam os sonhos de um casal de retirantes que está construindo um novo lar. Malas, que convencionalmente estão presentes em encontros e despedidas, que levam objetos repletos de afetos e significados, mas também a esperança e expectativa de uma vida nova. A alegria, o trabalho, o cansaço e a esperança, se misturam às técnicas circenses em uma contagiante coreografia. A montagem de um lar, a reafirmação de um vínculo de amor e companheirismo. “O conceito de retirante pensado nesta criação é diferente dos retirantes retratados por Portinari, por exemplo, que evidenciou a ideia de sofrimento. Esta montagem trata de um casal sonhador e romântico, que busca sua felicidade em terras mais abastadas que as suas, sem nunca perder a alegria e nem deixar de sonhar”, comenta  Cleuber Gonçalves, que assina o figurino.

“Para tratar de um tema tão íntimo e tão presente ao nordestino, tomamos muito cuidado, já que nossa intenção não era mostrar a dificuldade, nem o lado triste por ter de abandonar a terra querida. Mas sim a esperança, que dá forças a tantas famílias para migrarem em direção a uma nova vida. É uma homenagem aos nordestinos! Passaremos por municípios que possuem grande número de migrantes e acreditamos que desta forma, o circo adquire um papel importante de interação social, em um campo que pretende valorizar a cultura nordestina e discutir o preconceito”, explica Rachel Monteiro, cofundadora da trupe e volante de acrobacia.

O espetáculo tem clima de festa e começa com um cortejo ao som do maracatu, seguido de um número de perna-de-pau, realizado como uma grande brincadeira acrobática no ritmo do Coco, convidando os passantes para se achegar e conhecer uma história composta por elementos típicos da cultura nordestina. A cenografia, inserida no contexto da memória, utiliza objetos que fazem parte da memória afetiva e constituem um ambiente de conforto e segurança, como se aquelas pessoas os utilizassem para recriar o lar de outrora. O figurino tem referências dos festejos e da cultura retirante. Tecidos como juta, rendas e bordados se misturam para criar um visual alegre para esses personagens se deslocam em busca de um lugar melhor, sempre cheios de esperanças.

“Toda essa presença do Nordeste em São Paulo e a nossa própria história, foi o que norteou a pesquisa desta obra. Desde os ritmos escolhidos, danças, até objetos e sua relação com o cotidiano tradicional nordestino”, conta Guilherme Ribeiro Awazu, cofundador da Trupe, acrobalance, perna de pau e malabarismos. E ele ainda complementa: “Se ressaltarmos a realidade da capital paulista, região para a qual vieram milhares de migrantes nordestinos, torna-se ainda mais relevante a necessidade deste tipo de valorização cultural, principalmente misturando-se à arte circense, que também possui essa mesma tônica de resgate de memória e nostalgia”.

“Retirantes: Malas, Sonhos e Mancebos” conta com números como a Percha de equilíbrio, modalidade de virtuose e risco, pouco praticada no mundo, com uma técnica de origem familiar, passada de geração para geração e aprimorada no circo tradicional. Ao trazer esta técnica, o grupo une o circo contemporâneo ao tradicional. Trata-se de um aparelho tradicional em que o portô equilibra uma espécie de mastro no qual o volante sobe e executa sua seqüência de movimentos lá em cima, em uma estrutura que, neste caso, é uma lira. O espetáculo conta ainda com técnicas como: acrobacia em dupla, perna de pau, malabares, unindo habilidades como força, equilíbrio e manipulação de objetos. A direção artística é de Ronaldo Aguiar, importante artista da cena circense atual, diretor artístico dos Doutores da Alegria, que trabalhou com importantes nomes como Circo Roda, Circo Zanni, Circo Mínimo, Academia Brasileira de Circo e Universool Circus E.U.A. e que realizou um trabalho fundamental assessorando e situando os membros da Trupe, neste imaginário cheio de cores e danças. A direção de produção é de Marcia Vilela, da Arena Projetos.
“Retirantes: malas, sonhos e mancebos” é um projeto realizado por meio do edital
Prêmio Funarte Carequinha de Estimulo ao Circo 2015, uma realização da Funarte e
Ministério da Cultura.